Restaurante Tempero da Marlene

O Restaurante Tempero da Marlene, desde 1996, oferece alimentação de qualidade para você e sua família.

Um Pouco da História da Marlene e seu Restaurante

Eu, Marlene, sempre fui cercada pelo trabalho. Desde criança tive a necessidade em ajudar minha família, onde éramos meu pai, minha mãe e oito irmãos. Eu sendo a terceira mais velha, ajudei a cuidar dos meus irmãos mais novos e a partir de certa idade acompanhava meu pai na venda de produtos na feira. Na adolescência trabalhei de babá, ajudante do lar, professora do Mobral e secretária, para ajudar com as despesas da família.

Em 1980, me casei com Carlos, foi quando comecei minha historia com alimentação nos encontros de casais da igreja. Sempre me dava vontade de ir na cozinha e ficar especulando como fazia isso ou aquilo. Aos poucos fui aprendendo a cozinhar e a receber elogios da família e amigos. Me formei em magistério, tinha a intenção de me tornar professora definitivamente. Mas como a educação dos meus filhos para mim sempre foi prioridade, decidi ficar em casa com eles, Marlos, Carlene e Carlane, ainda pequenos, para garantir um futuro digno para eles. Para completar a renda da casa, comecei a ser representante de vendas de produtos de beleza, pois queria provar a meu esposo que era capaz de trabalhar para ajudar com as despesas e também cuidar das crianças.

Mas ainda não era o suficiente... Eu tinha vontade de ter o meu próprio negócio, ser uma empreendedora! Foi quando comecei a sonhar em que ramo seria, e como muitos elogiavam minha comida, eu pensei...”porque não cozinhar?” No começo tive um pouco de resistência. Meu filho chegou a dizer: “Minha mãe não vai ser cozinheira dos outros!”. Mas na mesma hora eu respondi: “Quem sabe começo cozinhando hoje e amanhã tenho um restaurante?”. Era somente um sonho, mas que eu estava disposta a correr atrás.

Foi então que em 1996,  minha amiga Maria das Graças me incentivou a começar e produzir para a família dela, que passava por dificuldades e não tinham tempo para fazer almoço para os filhos. Foi minha primeira cliente! Eu cozinhava em um fogão de 4 bocas, na cozinha da minha casa de 7 m2 , e ela vinha todos os dias buscar com sua própria “vazilhinha”. Ela me pagava por mês, e muitas vezes tive que contar com a ajuda dos amigos comerciantes para me venderem “fiado” os produtos que necessitava para produzir as refeições.

Mas aos poucos um foi contando para o outro e outros amigos começaram a pedir marmitex, e o número de cliente foi aumentando. Com isso, a produção foi aumentando, e consequentemente as dificuldades também. Faltava dinheiro para comprar panelas, utensílios e a matéria-prima necessária. As peças do porco eram sapecadas no fogão para compor a feijoada, por falta de um maçarico. Eu trabalhava sozinha, na minha casa. Acordava todos os dias as 4 horas da manhã, fazia as compras, produzia, vendia, embalava, pagava fornecedores, fazia a limpeza e ainda cuidava da casa e das crianças.

Aos poucos consegui juntar um dinheiro e em 1998 construi um “puxadinho”, onde seria a cozinha para produzir separadamente para os clientes. Consegui comprar umas mesas e cadeiras para acomodar os clientes. Todos os dias se formava uma fila de clientes que traziam suas vazilhinhas para enxer de comida. E cada dia o número de clientes crescia mais. Empresas começaram a comprar comida de mim para os trabalhadores. Familias me chamavam para cozinhar para festinhas. E foram aumentando o número de clientes caminhoneiros e estudantes da Universidade.

O espaço então foi ficando pequeno, e as reclamações da família também. Eles já não tinham mais privacidade em sua própria casa. Eu pensei em desistir. Foi quando pedi muito a Deus, e fui achando meu caminho aos poucos. Em 1998, consegui contratar minha primeira funcionária, Madalena. No mesmo ano, andando pelo bairro, encontramos um lote abandonado, cheio de lixo. Por ser uma boa localização, imaginamos um preço muito além do que poderíamos gastar. Mas com muito esforço, juntando tudo que tínhamos guardado, e com a ajuda do meu filho que já trabalhava, foi a quantia certinha para comprar o imóvel! Foi um investimento arriscado. Precisamos ainda fazer um empréstimo para construir a cozinha. Com muita luta, em 4 de agosto de 2002 inauguramos a nova sede, no dia do meu aniversário, foi uma festa inesquecível. Eram 5 colaboradores: Lurdes, Madalena, João, Carlos Henrique e Daniela, sendo que os três  primeiros são colaboradores da empresa até hoje. O apoio da minha família nesses momentos de dificuldades foi imprescindível. Eles sempre me apoiaram e incentivaram.

Em todos esses anos de empresa, consegui me formar em gastronomia, minha filha em nutrição e já fizemos a terceira reforma na empresa com a construção do estoque, do escritório e dos banheiros dos funcionários. Em 2008, fomos privilegiados quando os colaboradores do Programa de Televisão Caldeirão do Huck escolheram, dentre todos da cidade de Goiânia, escolheram o meu restaurante para se alimentarem durantes gravações na cidade. Foi um imenso orgulho!

No inicio do ano de 2012, foi um marco para a nossa Empresa, pois recebemos uma agente do SEBRAE que com todo cuidado e muita motivação, nos trouxe as possibilidades de inovação para a empresa. A chegada do Projeto Agente Local de Inovação (ALI), nos levou a adquirirmos mais experiências no campo administrativo, abriu portas para participar de cursos, onde amadurecemos e criamos novas expectativas para o mercado, fazendo avaliações, montando planos de ações, para superar obstáculos e atender as exigências dos clientes. Aprendemos a planejar, delegar, supervisionar, e monitorar os controles para o pleno funcionamento legal da empresa. Pudemos através do projeto, trazer a consultoria do Programa Alimento Seguro (PAS) que nos forneceu treinamento e capacitação aos nossos colaboradores. Hoje podemos exibir com entusiasmo o Certificado de sermos uma empresa Produtora de Alimentação Segura e com qualidade esperada pelo cliente. A ALI também nos incentivou a participar da FISPAL 2012, da Feira do Empreendedor do SEBRAE 2012, diversos cursos, Encontros Empresariais e Seminários no SEBRAE nos anos de 2012 e 2013. Aprendemos a separar a vida pessoal do negocio empresarial, com isso ter mais qualidade de vida. Enfim, com a chegada da ALI, pudemos ver que administrar não é trabalhar, trabalhar, e viver sufocado e às vezes nem dormir, e sim é pensar, analisar, delegar missões, buscar e adquirir experiências, ai sim trabalhar com os pés no chão.

Restaurante Tempero da Marlene, desde 1996.